Levantamento do Detran/RS para este Dia do Trabalho apontou que 42% dos condutores profissionais tem mais de 20 anos de habilitação. Ou seja, são 666,5 mil condutores aptos a trabalhar com o veículo. O que representa 15% do cadastro de condutores do RS. Destes, 282,7 mil tem mais de 20 anos de experiência ao volante. Outros 31% têm entre 10 e 20 anos de habilitação. O levantamento inclui condutores de todas as categorias. São motofretistas, taxistas, caminhoneiros, motoristas de ônibus, micro-ônibus, tratoristas.  Atualmente, o Detran/RS possui o registro de 342.795 veículos de placa vermelha. Em outras palavras, categoria aluguel, o que engloba o transporte de cargas e passageiros. Na mesma linha, entre eles 133,7 mil caminhões, 15,7 mil automóveis, 28,2 mil ônibus e 11,2 mil motocicletas.

A categoria de condutores profissionais é predominantemente masculina

Ou seja, somente 4% são mulheres. Esse percentual representa apenas 29.719 mulheres dirigindo profissionalmente no Estado. Os condutores que exercem atividade remunerada com o veículo distribuem-se entre as mais variadas faixas etárias. No entanto, 77% estão entre os 26 e 55 anos.

Mesmo com maior exposição no trânsito (muito mais tempo dirigindo do que a média do condutor comum), o percentual de infrações cometidas pelos condutores profissionais não é muito maior do que a sua participação no cadastro de condutores. Ou seja, 19% das infrações com condutores identificados em 2014 foram cometidas por profissionais, grupo que representa 15% do total de condutores. Em primeiro lugar no ranking das infrações mais cometidas está o excesso de velocidade. Foram 123 mil autuações pelo Artigo 218 do Código de Trânsito Brasileiro em 2014. Portanto, podemos avaliar que mesmo que 42% dos condutores profissionais tem mais de 20 anos de habilitação, com a situação do trânsito, a experiencia ao volante nem sempre é o principal para se evitar algumas situações.

Ainda inexiste o refinamento estatístico sobre o envolvimento de motoristas profissionais em acidentes no RS. Entretanto, o número de caminhões e ônibus envolvidos em ocorrências com vítimas fatais preocupa o Detran/RS. Estudo divulgado recentemente em evento que reuniu as entidades representativas das categorias profissionais, apontou que 24% dos acidentes que resultam em vítimas fatais tinham pelo menos um caminhão envolvido. No evento, o Detran/RS apresentou uma série de propostas para enfrentar esse problema. Ou seja, que afeta principalmente, os condutores profissionais (autônomos ou empregados).

“É preciso que toda a sociedade se envolva na solução do problema. Formação e qualificação desse profissional do volante andam de mãos dadas com a fiscalização do tempo de trabalho e das condições desses motoristas. Mas é preciso olhar também para os condutores não profissionais. Se os caminhões estão envolvidos em grande parte dos acidentes com vítimas fatais é porque eles estão muitos expostos nas rodovias. E um acidente com um veículo pesado sempre é mais violento. Mas não quer dizer, necessariamente, que eles foram provocados pelo motorista do caminhão”. Analisou o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski.

Viagem Segura

O Dia do Trabalho é o segundo feriado mais violento do ano. Foram, em média, 7,6 mortes por dia de feriado nos últimos sete anos. Somente no ano passado, considerando os 30 dias de acompanhamento pós-acidente, foram 39 mortes no feriado do Dia do Trabalho.

Por isso, a fiscalização estará mobilizada, a partir da zero hora da próxima quinta-feira (30), para a 41ª edição da Viagem Segura. A Operação, que contará também com reforço de uma campanha educativa em rádios e Internet, se estenderá até a meia-noite de domingo (03).