Estica o braço, pega o celular, dá uma olhadinha, digita a senha. Olha para frente, volta para o celular, solta um pouquinho o volante, começa a escrever. Olha para frente de novo e não deu tempo de frear. Foi assim com o Paulo, universitário que bateu o carro no poste enquanto mexia no celular. “Acaba saindo de um retorno assim, mexendo no celular, vendo mensagem eletrônica. E, então, eu perdi a atenção e acabei batendo num poste. Eu fiz besteira, eu estava vendo texto enquanto dirigia.”  Portanto, a matéria Celular no trânsito: 1.3 milhão de acidentes por ano, serve para conscientizar os motoristas dos riscos dessa atitude.

O estudante não é o único. De acordo com o seguro DPVAT, pago em caso de morte ou invalidez, são registrados cerca de 1,3 milhão de acidentes por ano relacionados ao uso do celular. Os dados também mostram que 80% dos motoristas admitem que utilizam o aparelho ou outras tecnologias que geram distração enquanto dirigem.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, do início do ano até agora, foram aplicadas mais de 10.500 multas em todo o país. Ou seja, pelo uso de celular ao volante. Dados de uma pesquisa realizada pelo Observatório Nacional de Segurança Viária apontam que 98% dos acidentes de trânsito são causados por erro ou negligência humana. Em primeiro lugar no ranking está a prática de fazer ligações ou mandar mensagens enquanto dirige.

Nas ruas, a população reconhece que a infração é muito comum.

Quem digita mensagem de texto ao volante tem 23 vezes mais chances de sofrer um acidente. Uma ligação aumenta o risco em seis vezes, de acordo com um estudo do Departamento de Transportes dos Estados Unidos. A multa para quem for pego falando ao celular enquanto dirige é de R$ 85, além de quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

O presidente da ONG Trânsito Amigo, Fernando Diniz, afirma que cabe ao cidadão reivindicar mudanças na lei para diminuir o índice de acidentes.”O cidadão brasileiro tem que definir qual tipo de trânsito que ele acha que pode conviver. Se é esse que está ai, matando de forma indiscriminada. Ou aquele que ele tem que pedir, reivindicar mudanças seja em código brasileiro, seja no código penal para que a gente possa imediatamente impedir ou diminuir esse número de mortes de inocentes. Além disso, e que nossos filhos não morram presos às ferragens de um carro”.

Usar fone de ouvido ou dispositivos de alto falante no carro também são prejudiciais. Ou seja, porque comprometem a atenção do motorista. Os cuidados com o uso do celular devem ser observados também pelos pedestres. A distração pode aumentar o risco de atropelamentos.

 

O que achou da matéria: Celular no trânsito: 1.3 milhão de acidentes por ano? Caso tenha alguma dúvida, estamos a total disposição para te atender. Entre em contato e saiba tudo sobre leis, novidades e dicas de transito. Acima de tudo, confira todas as nossas matérias. Nelas constam tudo o que você precisa saber para estar de acordo com as leis, ficar por dentro das dicas. Além de manter a sua segurança e dos demais motoristas e pedestres.