As placas de identificação de veículos no Brasil são emitidas pelos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detran) de cada unidade da Federação. Ou seja, seguindo uma sequência única para todo o país. Portanto, cada unidade da Federação tem a sua combinação de letras nas placas. A ordem das letras e números tem a ver com o Estado em que o veículo é emplacado. Esse procedimento começou a ser adotado em fevereiro de 1990. Em outras palavras, quando as placas amarelas (com duas letras e quatro números) foram substituídas pelas cinzas (com três letras). Entenda como funciona a combinação de letras e números nas placas dos veículos:

Cada unidade da Federação tem suas combinações próprias (veja tabela abaixo), distribuídas pela frota local em ordem cronológica de licenciamento ou emplacamento. É possível encontrar placas com cidades e combinações “trocadas”. Isso acontece porque, se um veículo é emplacado originariamente em um lugar e o endereço do proprietário muda, troca-se apenas a indicação de cidade e estado.

Existe a possibilidade também de o proprietário escolher as letras e números da placa do veículo, mas com restrições. Em São Paulo, por exemplo, são proibidas combinações que formem palavras consideradas obscenas ou constrangedoras. Além disso, o Código de Trânsito Brasileiro não permite a reutilização de placas. Ou seja, mesmo que um carro saia de circulação, sua combinação de letras e números não será reaproveitada em outro veículo.

Novidades

Os países membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela) passarão a ter um modelo único de placas, com quatro letras e três números.  Portanto, a partir de 1º de janeiro de 2016 a nova placa será obrigatória nos “veículos novos em seu primeiro emplacamento. Assim como em veículos objeto de transferência de propriedade ou de local de emplacamento”. Mas, de acordo com o Ministério das Cidades, veículos já emplacados não serão obrigados a trocar o mecanismo. O objetivo, segundo o órgão, é “facilitar a circulação e a segurança no trânsito entre os países do bloco. Ou seja, contribuindo, por exemplo, para uma melhor fiscalização aduaneira e migratória”.

Relação da combinação de letras e números nas placas dos veículos:

  • Paraná – AAA 0001 a BEZ 9999
  • São Paulo – BFA 0001 a GKI 9999
  • Minas Gerais – GKL 0001 a HOK 9999
  • Maranhão – HOL 0001 a HQE 9999
  • Mato Grosso do Sul – HQF 0001 a HTW 9999
  • Ceará – HTX 0001 a HZA 9999
  • Sergipe – HZB 0001 a IAP 9999
  • Rio Grande do Sul – IAQ 0001 a JDO 9999
  • Distrito Federal – JDP 0001 a JKR 9999
  • Bahia – JKS 0001 a JSZ 9999
  • Pará – JTA 0001 a JWE 9999
  • Amazonas – JWF 0001 a JXY 9999
  • Mato Grosso – JXZ 0001 a KAU 9999
  • Goiás – KAV 0001 a KFC 9999 – NFC 0001 a NGZ 9999
  • Pernambuco – KFD 0001 a KME 9999
  • Rio de Janeiro – KMF 0001 a LVE 9999
  • Piauí – LVF 0001 a LWQ 9999
  • Santa Catarina – LWR 0001 a MMM 9999
  • Paraíba – MMN 0001 a MOW 9999
  • Espírito Santo – MOX 0001 a MTZ 9999
  • Tocantins – MVL 0001 a MXG 9999
  • Alagoas – MUA 0001 a MVK 9999
  • Rio Grande do Norte – MXH 0001 a MZM 9999
  • Acre – MZN 0001 a NAG 9999
  • Roraima – NAH 0001 a NBA 9999
  • Rondônia – NBB 0001 a NEH 9999
  • Amapá – NEI 0001 a NFB 9999