Um novo estudo sobre consumo em São Paulo mostra que o tráfego é um ponto importante para o paulistano que porta smartphone. Além disso, eles buscam por uma solução e decisões inteligentes. A pesquisa realizada pela Ericsson e apresentada na última quarta-feira em Estocolmo, capital da Suécia, mostra que a média de preocupação do cidadão da capital paulista com trânsito é de 77%. Ou seja, pouco acima da média mundial, 76%.

Quando tomamos decisões inteligentes, as cidades passam a também se tornar inteligentes. Diz sueco responsável pela pesquisa

Realizada no mês de setembro com 9.030 usuários de iPhone e Android, a pesquisa é conduzida pela área de ConsumerLab desde 1995 da empresa sueca. Portanto, seu foco é no estudo do avanço do consumo relacionado à tecnologia. Desta vez, o documento tem como foco o desenvolvimento da internet na vida das pessoas. Além disso, como elas querem essa mudança, para elas e para suas cidades.

“Quando usamos a internet, nós a usamos para um monte de informação. Usamos para tomar decisões e quanto mais informação nós temos, melhor tomamos nossas decisões”. Explicou Michael Björn, responsável pela pesquisa do ConsumerLabs. “E quando tomamos decisões inteligentes, as cidades passam a também se tornar inteligentes”. Completa o pesquisador, ao explicar como exemplo uma fuga de um congestionamento por meio de aplicativos, como o Waze.

A pesquisa ainda aponta que 81% dos paulistanos também estão preocupados com a qualidade da água na cidade. Questionado se isto teria relação com a atual crise da falta de água na cidade. No entanto, Björn afirmou que não.

“Nós fizemos as perguntas para as pessoas sobre ‘você gostaria de um aplicativo para ver se a água de uma torneira é potável?’, 81% deles (paulistanos) responderam que sim. Ou seja, isto tem muito haver com o conceito se deve ou não comprar água mineral”, afirma o cientista sueco.

Outra cidades

Outro tema relevante apresentado na pesquisa para os cidadãos de São Paulo é a possibilidade de um aplicativo para medir o uso diário de eletricidade, com 74% respondendo positivamente. Além de São Paulo esta temática também tornou-se opção válida para ou outros ouvintes da pesquisa de oito cidades globais, em especial Nova Delhi (89%) e Pequim (77%), embora o trânsito continue como principal preocupação nas três cidades.

No total 25% dos pesquisados, incluindo Roma, Nova York, Tóquio, Paris, Londres e Estocolmo são a favor que se crie uma aplicação deste gênero. Ainda de acordo com a pesquisa, 54% acreditam que esta iniciativa deve ser criada pelas companhias de eletricidade.

Ainda segundo Björne, 5 entre 12 pessoas acreditam que a cidade devem dar esse serviços. Por outro lado, a confiança do cidadão com suas informações ainda mostra receio. Dos entrevistados das nove cidades apenas 19% afirmam que as autoridades podem ceder as informações pessoais para companhias, e 28% acreditam que os governantes não vão considerar o bem-estar e interesse do usuário ao usar informação pessoal.