Empresas que não podem comprar simuladores serão beneficiadas. O acordo foi feito em uma audiência pública entre Ministério Público de Alagoas (MP), Detran-AL, Sindicato dos Centros de Formação de Condutores e autoescolas de Alagoasfic. Portanto, ou acordado que o Detran vai financiar a compra dos simuladores de direção para as autoescolas que não possuem condições financeiras de adquirir o aparelho. A reunião ocorreu nesta quarta-feira (29), no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, em Maceió.

De acordo com o promotor de Justiça Sidrack Nascimento, o objetivo do Ministério Público é facilitar um entendimento entre as partes. Ou seja, para dar conta da Resolução nº 493/14 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e da Portaria nº 1647/14. Que, portanto, tratam das novas normas e procedimentos para formação de condutores de veículos.

Para o Contran, a adoção do uso de simuladores é facultativa. No entanto, para o Detran, o uso é obrigatório. Da mesma forma, as aulas em simuladores de direção veicular para obtenção da categoria B passarão a ser obrigatórias a partir do dia 1º de dezembro de 2014.

“O Ministério Público buscou uma solução de comum acordo. Ou seja, para que todos saíssem satisfeitos da audiência. Principalmente as autoescolas que nos procuraram alegando não terem condição de manter seus serviços por conta do encarecimento da estrutura. Ao final, ficou definido que o Detran financiará a aquisição dos simuladores. Em outras palavras, para as empresas que não dispõem de recursos para comprar o equipamento. Para isso, o órgão estadual disciplinará as condições de financiamento com o acompanhamento, claro, do Ministério Público”. Explica o promotor.

Simuladores de direção

O equipamento eletrônico servirá para simular situações, como dirigir na chuva, com neblina ou à noite. Também é possível fazer manobras e quando há colisão, o impacto é ‘sentido’ pelo aluno. O treinamento, de acordo com a resolução, deverá ser acompanhado por um professor. Além disso, a presença do aluno é certificada por biometria, obrigatória desde 2011.

Fonte: G1 Notícias