Estados psicológicos e emocionais alterados podem afetar a capacidade de dirigir ou pilotar com segurança. Portanto, o homem interfere artificialmente nessas condições ao utilizar substâncias químicas que alteram o funcionamento cerebral. Entretanto, não é só do álcool que estamos falando. Drogas e medicamentos também podem comprometer a direção segura. “Infelizmente o uso de drogas alucinógenas, estimulantes, relaxantes ou entorpecentes é muito comum em todos os níveis da nossa sociedade. Portanto, essas drogas, assim como o álcool, alteram nosso padrão de percepção e consciência da realidade e de nosso próprio estado”. Explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

A capacidade intelectual do ser humano está classificada em oito inteligências: a da comunicação, a do raciocínio lógico, a da noção de espaço, a da coordenação motora. Além do autoconhecimento e compreensão, a de se relacionar, a de se situar no meio ambiente e a da distinção e interpretação dos sons. Ou seja, para cada tarefa que realizamos utilizamos várias dessas inteligências. A habilidade de dirigir ou pilotar exige do motorista a utilização de todas as oito. “Apesar de estar com a sua capacidade comprometida, o indivíduo sob o efeito de drogas, pensa que está em plenas condições psicológicas e físicas”. Alerta Mariano.

Medicamentos

A ingestão inadequada de medicamentos, em excesso ou combinada com outras substâncias, também pode alterar o comportamento do condutor. No entanto, algumas pessoas, inclusive, fazem o uso proposital destas substâncias para afasta o cansaço e o sono. Ou seja, são os populares “rebites”. “O enorme risco gerado por essas drogas é que elas adiam uma necessidade natural de descanso do organismo. Portanto, ao passarem seus efeitos, o motorista pode dormir repentinamente e causar um grave acidente”. diz o especialista.

Já alguns medicamentos usados comumente pelas pessoas provocam efeitos colaterais perigosos, como alterações sensoriais, tonturas e sonolência e que também podem levar o condutor a causar acidentes. São eles: moderadores de apetite, antidepressivos, corticoides e anti-histamínicos. “Cabe a cada um conhecer o medicamento que utiliza, tomando as medidas de segurança recomendadas pelo médico”, conclui Mariano.

 

O que achou da matéria: Drogas e medicamentos também podem comprometer a direção segura? Caso tenha alguma dúvida, estamos a total disposição para te atender. Entre em contato e saiba tudo sobre leis, novidades e dicas de transito. Acima de tudo, confira todas as nossas matérias. Nelas constam tudo o que você precisa saber para estar de acordo com as leis, ficar por dentro das dicas. Além de manter a sua segurança e dos demais motoristas e pedestres.