Diminuição da circulação de caminhões em estradas. A recessão econômica tem seus reflexos também na circulação de veículos pesados em rodovias sob concessão. Entretanto, as passagens de caminhões e ônibus nas praças de pedágio diminuíram 5,6% entre janeiro e março. Números então, comparados com o mesmo período de 2015. Já o movimento de veículos leves teve queda de 0,5%.

O levantamento, feito pela Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR), em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada, reforça que o cenário da atividade econômica está alinhado com o fluxo nas estradas. “A queda na movimentação de veículos pesados indica retração na atividade industrial e, consequentemente, na economia neste primeiro trimestre”, afirma Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria. “Já o fluxo de leves representa uma opção de consumo e fatores como queda de renda, aumento da inflação e desemprego refletem um orçamento mais apertado e menos decisões de viagens”, completa.

No mês de março, o fluxo de veículos recuou 0,1% em relação a fevereiro, considerando ajustes sazonais. O trânsito de veículos leves caiu 0,6%, enquanto o de pesados retraiu 1,4%, na mesma base de comparação.

Na comparação com março de 2015, o índice geral teve retração de 1%. O fluxo de veículos leves cresceu 1,4% e a movimentação de pesados recuou 7,3%.

No acumulado de 12 meses, o fluxo total de veículos nas rodovias recuou 1,9%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de leves registrou retração de 0,5% e o de pesados 5,8%.