A palavra instruir, utilizada sabiamente na profissão, representa transmitir algum conhecimento. Assim como habilitar alguém sobre alguma coisa. Nada mais adequado para essa profissão que é responsável pela formação de condutores de veículos de milhões de pessoas. Acima de tudo, a profissão foi regulamentada pela Lei Nº 12.302, de 2 de agosto de 2010. Portanto, hoje é comemorado e dia do Instrutor de Trânsito!

Seja nas salas de aula, no caso dos instrutores teóricos, ou seja nas ruas, no caso dos instrutores práticos. Os instrutores têm a missão de transmitir a educação para o trânsito e a prática veicular. Portanto, formando condutores para obtêm a Permissão para Dirigir (PPD) anualmente.

Desafios da profissão:

Os desafios são muitos. Em primeiro lugar, por trabalhar com educação. Não é de hoje a discussão ininterrupta de que a educação no país, seja lá em qual esfera, esbarram no desinteresse dos alunos. E no caso das autoescolas não é diferente. Ou seja, o objetivo da maioria dos alunos, muitas vezes, é de apenas “passar” na prova, sem a preocupação do papel de cada um no trânsito. Além do desinteresse, está o desafio de ensinar legislação, infrações, direção defensiva, primeiros socorros. Assim como cidadania, meio ambiente e mecânica básica distribuídas nas 45 horas/aula do curso teórico. Além disso, tem a tarefa de capacitar o aluno para dirigir um carro em 25 horas/aula. Da mesma forma, pilotar uma moto durante as 20 horas/aula nas aulas práticas.

Entenda melhor sobre esses profissionais:

E os desafios não param por aí. Ou seja, nas dificuldades da assimilação do conteúdo pelos alunos, a preparação para a prova, as necessidades particulares de cada um deles. No entanto, nas ruas, o desafio é com os motoristas impacientes que parecem que nunca foram alunos um dia, as buzinadas. Além dos xingamentos, o saber lidar com as limitações dos alunos. Ou seja, o medo de dirigir, o pânico, a insegurança, ou o excesso de confiança.

Além desses, acrescente na conta as frustrações com as reprovações e a revolta dos alunos ao acharem que é tudo culpa das autoescolas. Assim como  muitas vezes culpam os instrutores. A conta é grande, mas maior ainda é o amor deles pela profissão. Sim, pois para estar nas ruas diariamente, ou nas salas de aulas ministrando conteúdo a cada turma nova, é preciso ter amor pela profissão. No entanto, muitos vão dizer que pode não ser o gosto pela causa, talvez pela comodidade, necessidade e tantas outras desculpas que podem existir. Mas, para nós, do Portal do Trânsito, são desculpas, pois trabalhar com trânsito e ser responsável pela formação de milhões e milhões de motoristas, isso só pode ser amor.

Parabéns Instrutor de Trânsito pelo seu dia!