Novas condições de financiamento para exportação animam indústria automotiva por avaliar positivamente o anúncio feito na tarde desta quinta-feira, 14. Isso devido as novas condições do BNDES destinada ao financiamento de produtos destinados à exportação. A medida, formalizada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), vem, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em um bom momento de negócios com o mercado externo.

“Recebemos com grande entusiasmo a notícia das novas condições de financiamento. Afinal, vivemos um período de excelentes oportunidades no comércio exterior. Portanto, medidas para reduzir custos, tornar mais ágil e simplificar os processos são extremamente benéficas para alavancar as exportações brasileiras”. Afirma o presidente da Associação, Luiz Moan.

Um grupo de investidores iranianos desembarcará no Brasil na próxima semana para discutir uma compra robusta. A negociação que encheu os olhos do mercado nacional representaria a compra de 140 mil automóveis de passeio. Além de 35 mil caminhões e 17 mil ônibus. Consequentemente, uma remessa que interessa muito os fabricantes que têm um estoque que equivale a 43 dias de vendas. Isso devido as novas condições de financiamento para exportação animam indústria automotiva.

A comitiva iraniana dará detalhes na reunião com representantes das montadoras sobre os veículos que pretendem adquirir. Além disso, a possível encomenda equivale ao volume total da produção brasileira de veículos em março.

Condições

As novas condições anunciadas pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, permitirão a redução de custos, a aceleração e simplificação no acesso aos financiamentos de pré-embarque realizados pelos bancos.

A estimativa do BNDES com as novas regras é que os financiamentos para 2016 somem R$ 15 bilhões. Então, mais de 3,5 mil empresas de alto valor agregado devem ser beneficiadas. Segundo o banco, terão condições de aumentar sua competitividade no mercado externo.

As linhas de pré-embarque permitem que as empresas produtoras e exportadoras disponham de capital de giro para a produção de um bem que será exportado. Portanto, o crédito a custo competitivo é uma ferramenta importante para que as empresas, particularmente os fabricantes de produtos de maior valor agregado, possam ter acesso ou ampliar sua atuação no mercado internacional.

Em primeiro lugar, os financiamentos nas linhas do BNDES Exim Pré-embarque destinados à produção de bens de capital terão custo integral em TJLP. Ou seja, TJLP é a taxa de juros de longo prazo do BNDES, atualmente em 7,5% ao ano). Segundo, a produção de bens de consumo será beneficiada com o aumento para até 70% da parcela de TJLP em seus financiamentos.

Anteriormente, o custo financeiro da linha de pré- embarque do BNDES variava de 50% a 70% em TJLP para a produção exportável de máquinas e equipamentos e o financiamento a bens de consumo manufaturados era realizado inteiramente a taxa de mercado.

Moderfrota

Outra medida anunciada pelo BNDES nesta quinta influencia diretamente a cadeia de produção de máquinas agrícolas e implementos. Além disso, o programa de modernização da frota de tratores e máquinas – Moderfrota – ampliou em R$ 300 milhões o seu orçamento para o ano agrícola 2015/2016., Totalizando R$ 4 bilhões para o período.

O incremento deve dar fôlego ao financiamento de investimentos do setor rural brasileiro. “No fim deste mês, precisamente na semana de 25 a 29 de abril, teremos a realização da Agrishow. Ou seja, uma das maiores feiras agrícolas do mundo, onde muitos negócios são fechados.

Consequentemente, exaltamos este reforço de recursos com taxas competitivas, que será fundamental para estimular o investidor. Além de alavancar as vendas do segmento e, consequentemente, aumentar a produtividade no campo por meio da utilização de máquinas novas e modernas”, finaliza Moan.