Quantas vezes já não ouvimos a frase: “Se beber, não dirija?” Mesmo assim seguimos com a estatística de 66.000 mortes (DPVAT) por ano no Brasil. Ou seja, 40% delas ligadas ao consumo de álcool. Além disso, mais da metade afetando jovens entre 18-35 anos. Para a Semana Nacional do Trânsito 2014, o Movimento Não Foi Acidente – Viva Vitão, lançará no próximo dia 23, o livro “Tudo O Que Não Foi…” com a curadoria de Deborah Kietzmann Goldemberg. Palavras de Jairo Bouer: “… talvez seja na literatura, na ficção, que as pessoas consigam enxergar e perceber o que apenas a razão não tem sido capaz de fazer: o quanto a vida do outro é muito mais importante do que qualquer gole de imprudência e irresponsabilidade.”

  • Dia 18/09 – Belém-PA
  • Dia 23/09 – São Paulo-SP
  • Dia 30/09 – Recife-PE

Saiba mais

Foi pensando na exaustão do discurso institucional acerca do tema dos (não) acidentes de trânsito no Brasil que esta coletânea foi concebida pela organizadora, o Movimento Não Foi Acidente e Viva Vitão. Nas palavras que Jairo Bouer, que assina a orelha do livro, “… talvez seja na literatura, na ficção, que as pessoas consigam enxergar e perceber o que apenas a razão não tem sido capaz de fazer: o quanto a vida do outro é muito mais importante do que qualquer gole de imprudência e irresponsabilidade.”

Segundo Deborah Kietzmann Goldemberg, “a literatura nos traz a possibilidade de ir além do racional e mais próximos da alma humana… há em cada um desses contos o que está por trás desse descaso com a vida.”

O projeto mobilizou de forma voluntária grandes autores brasileiros. Ou seja, desde os já amplamente reconhecidos e premiados, como Ana Miranda e Loyola Brandão, talentos que estão despontando no momento como Bernardo Kucinski e Wellington de Mello (Finalista do Prêmio Portugal Telecom deste ano). Além deles, incluindo também jovens vozes que atuam num plano experimental, como Douglas Diegues e Bobby Baq.

Confira a lista completa dos autores:

  • Ana Miranda
  • Bernardo Ajzenberg
  • Bernardo Kucinski
  • Bobby Baq
  • Caco Ishak
  • Carlos Eduardo de Magalhães
  • Deborah Kietzmann Goldemberg (org.)
  • Douglas Diegues
  • Ignácio de Loyola Brandão
  • Ítalo Ogliari
  • Luiz Roberto Guedes
  • Marcelino Freire
  • Paula Fábrio
  • Rubiane Maia
  • Wellington de Melo

Acima de tudo, há autores de todas as regiões do país. Ou seja, já que o tema da coletânea é uma preocupação nacional. Portanto, são autores das regiões de Ceará, Pará, Espirito Santo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, além dos paulistas.

Sobre o movimento “Não Foi Acidente”

Criado por Rafael Baltresca e Nilton Gurman, com o apoio de uma imensa rede de apoio. Rafael perdeu sua mãe e irmã no dia 17 de setembro de 2011 e Nilton deu adeus a seu sobrinho Vitor alguns dias após seu atropelamento em 23 de julho do mesmo ano. Portanto, a exposição midiática desses casos somada à tristeza e apelo por justiça de inúmeras famílias foi um grande impulso à criação do movimento. Ou seja, o movimento vem empreendendo, ao longo dos anos, debates, ações de conscientização e suporte a todos os movimentos de cidadania no trânsito. Consequentemente, seu objetivo é mudar as leis de trânsito brasileiras, as quais têm tantas brechas e são tão permissivas.