De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as mortes de pedestres representam 22% do total de óbitos no trânsito no mundo. Da mesma forma, no Brasil, a cada sete minutos, uma pessoa é vítima de atropelamento. Segundo o DPVAT, somente nos primeiros seis meses de 2015, foram 61.551 indenizações pagas para pedestres envolvidos em acidentes de trânsito. Por outro lado, a principal causa desses acidentes é o desrespeito aos limites de velocidade pelos motoristas. No entanto, a falta de atenção e atitudes incorretas dos pedestres também contribuem com essa triste estatística.

Um relatório recente realizado nos EUA mostra dados alarmantes sobre uso do telefone celular por pedestres. Além disso, e sua relação direta com o número de mortes e vítimas de atropelamentos nas cidades norte-americanas. Segundo a pesquisa, nos últimos quatro anos houve um crescimento de 15% no número de mortes de pedestres distraídos porque estão olhando para o celular ao atravessar uma rua. A tendência preocupa os especialistas, porque apesar de todo o perigo, o uso do celular só aumenta, tanto por pedestres quanto por condutores de veículos.

Velocidade

A gravidade da lesão sofrida por uma vítima de atropelamento está relacionada com a velocidade do veículo. Uma pessoa atropelada por um veículo a 60 km/h sofre o impacto correspondente a uma queda do 11º andar de um edifício. A 80 km/h, o impacto é parecido com uma queda do 20º andar. A 120 km/h, a altura da queda sobe para o 45º andar.

Engenharia

Mudanças no trânsito que podem trazer mais segurança aos pedestres, por exemplo, são intervenções para reduzir a exposição aos locais por onde trafegam os veículos (construção de calçadas, melhorias em faixas de pedestres, instalação de mais semáforos, passarelas ou passagens subterrâneas). O incentivo à redução da velocidade máxima dos automóveis, por meio de lombadas, rotatórias e sonorizadores, é outra medida eficaz.

Dicas para não ser uma vítima de atropelamento e evitar essa situação:

A boa convivência entre condutores e pedestres depende do respeito aos direitos e deveres de cada um. Portanto, o Portal do Trânsito separou dicas tanto para motoristas evitarem atropelamentos quanto para pedestres se prevenirem.

Motoristas

  • Dar uma oportunidade real para o pedestre utilizar as vias, principalmente crianças, idosos e deficientes físicos.
  • Atenção: Um atropelamento é sempre uma tragédia. Por isso, na proximidade de pedestres, reduzir a velocidade e redobrar a atenção.
  • Tentar prever a reação do pedestre.
  • Mesmo com sinal favorável o condutor deve aguardar que os pedestres concluam travessias já iniciadas.
  • Lembrar que, na condição de pedestre, o condutor também se sente vítima da intolerância de outros condutores.
  • Dê a preferência: seja gentil e facilite a travessia. Quando houver faixa sem sinal luminoso, a preferência é do pedestre.
  • Faixa de pedestres: Como o próprio nome já diz, a faixa é para a travessia dos pedestres. Não pare na faixa.
  • Evite buzinar o tempo todo para pedestres. Isso só causa stress e sustos desnecessários, o que pode comprometer a segurança.

Pedestres

  • Atravessar sempre na faixa de segurança.
  • Procurar sempre ter certeza de que o motorista notou a sua presença.
  • Aguardar pelo momento mais seguro para atravessar vias sem faixa.
  • Procurar atravessar a rua sempre em linha reta, percorrendo a menor distância no menor tempo possível.
  • Evitar caminhar sobre a pista de rolamento.
  • Caminhar de preferência pelo lado de dentro das calçadas.
  • Aumentar sua capacidade de previsão, procurando identificar os sinais do condutor.
  • Não usar fone de ouvido e nem se distrair com o celular.