Proteste realizou o teste com cinco marcas. No entanto, apenas uma foi aprovada. As outras quatro apresentaram riscos para as crianças. A falta de segurança das bicicletas infantis agora está comprovada. Ou seja, dos cinco modelos avaliados pela Proteste, entidade que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros, apenas um não é perigoso. Em outras palavras, o da Caloi, portanto, foi o único aprovado.

Problemas de segurança das bicicletas infantis em rodinhas e freios:

Nos protótipos das fabricantes Colli e Track & Bikes, as rodinhas auxiliares – acessórios imprescindíveis para ajudar a manter o equilíbrio – ficaram deformadas durante o teste de fadiga. Portanto, isso representa um grande e perigoso risco de queda para a criança ao andar de bicicleta.

Foram detectadas também falhas nos freios. Ou seja, casos do dispositivo dianteiro da marca Tito. Que, em outras palavras, ultrapassa a força máxima de acionamento de frenagem, podendo causar um capotamento. Além disso, do traseiro da Track & Bikes, que demora muito até conseguir finalmente parar a bicicleta.

Selim, garfo e correntes trazem riscos à criança

Outro dos vários e sérios problemas de segurança avistados, que incluíram ainda rachaduras e rupturas no selim e no garfo, foi a falta de proteção das correntes. Que, certamente, aumenta o perigo de dedos e cadarços ficarem presos entre esse acessório e as rodas.

Manuais incompletos dificultam montagem

Não bastasse o risco que as bicicletas oferecem à criança, elas ainda são difíceis de montar. Além da omissão sobre detalhes de ajuste, os manuais não trazem informações básicas e expostas claramente sobre itens de igual importância, como manutenção, conservação e limpeza. E apenas um deles – o da Tito – traz um dado elementar que deveria constar de todo guia: o peso total admissível na bicicleta.

Recomendações

Segundo o Ministério da Saúde, em 2012, 136 crianças de até 14 anos morreram e 2.427 foram hospitalizadas vítimas de acidentes com bicicletas.

Ao andar de bicicleta, um dos maiores perigos é a lesão na cabeça, que pode levar à morte ou deixar sequelas permanentes. A maneira mais efetiva de reduzir esse tipo de lesão é usar o capacete. Esta única medida de segurança pode reduzir este risco, incluindo a possibilidade de traumatismo craniano, em até 85%. “Não basta utilizar o capacete, ele deve estar bem afivelado, ser certificado pelo Inmetro e ter o tamanho adequado para a criança”. Afirma Celso Alves Mariano, diretor do Instituto Prevenir.

Além desses cuidados, existem outros que são muito importantes, de acordo com o especialista. “Para a criança a bicicleta é um brinquedo, e como os pequenos não tem noção ainda dos perigos existentes, eles não devem andar na rua, os pais devem optar por locais seguros, como parques, ciclovias e praças, longe do fluxo de carros e sempre ter a companhia de um responsável”. Conclui Mariano.

Resposta Track & Bikes:

A Track & Bikes assegura a qualidade de seus produtos e a segurança dos mesmos.
O produto mencionado na pesquisa,( Bicicleta Dino neon) atende todas as normas de segurança estabelecidas pelo INMETRO.

O próprio certificado de conformidade está afixado ao produto atendendo a todas as exigências da norma NM 301:2002. A avaliação feita pela Proteste segue normas europeias do qual o Brasil não se utiliza. Ressaltamos que a fabricação dos nossos produtos seguem rigorosamente todas as normas estabelecidas e controladas pelo INMETRO.