Articles Tagged with: Auto escola em Diadema

Idosos estão cada vez mais em risco no trânsito

Estatísticas mais recentes mostram que acidentes envolvendo pessoas com mais de 65 anos têm aumentado assustadoramente. Acima de tudo, nas grandes cidades. “A população brasileira está vivendo, em média, 11 anos a mais do que vivia há três décadas. Essa é uma ótima notícia. No entanto, que vem acompanhada de grandes desafios. E um deles é adaptar o trânsito a essa nova realidade”. Explica Elaine Sizilo, pedagoga e especialista em trânsito. Essas informações mostram que os Idosos estão cada vez mais em risco no trânsito. Entenda melhor ao decorrer da matéria.

Nos próximos oito anos, a parcela de idosos na população brasileira passará dos atuais 11% para 14,6%. No entanto, em 2040, os indivíduos com 60 anos ou mais de idade representarão mais de 27% dos brasileiros. Em outras palavras, o número de habitantes nessa faixa etária deixará o patamar atual de cerca de 21 milhões de pessoas, para beirar os 30 milhões em 2020. Ou seja, chegando a ultrapassar a marca dos 55 milhões de indivíduos em menos de três décadas, segundo o IPEA.

De acordo com a Seguradora Líder, que administra o DPVAT, nos últimos cinco anos, as ocorrências de acidentes envolvendo idosos tiveram um crescimento de 33%.

Embora a quantidade de óbitos seja menor que a quantidade de casos de invalidez permanente, no período analisado os casos de morte cresceram 40%, contra 28% de invalidez. Ainda de acordo com os mesmos dados, em 2012, acidentes com automóveis representaram 50% das ocorrências indenizadas envolvendo idosos. Em outras palavras, 63% destas indenizações foram por atropelamentos. “O processo natural do envelhecimento afeta a visão, a audição, o apetite o sono e o equilíbrio. Além disso, também enfraquece a musculatura e os ossos. ou seja, isso afeta bastante a capacidade cognitiva do idoso. Portanto, capacidade essa que é fundamental no trânsito”. Explica Sizilo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia a Traumatologia (SBOT), o cenário é mais grave ainda. Ou seja, a recuperação de um acidente depois dos 60 anos é mais lenta, requer mais cuidados e, em muitos casos, piora a saúde do idoso, devido a complicações que ocorrem quando a pessoa precisa permanecer na cama, imobilizada, deitada de costas, durante muito tempo .

Segundo Sizilo, se nada for feito em relação a isso, a tendência é a situação piorar. “Para qualquer pessoa idosa é muito importante manter a sua participação ativa na sociedade, movimentando-se livremente como um pedestre ou como motorista. A independência e autonomia que o trânsito oferece são indispensáveis para manter a sua qualidade de vida”. Diz a especialista.

Em Curitiba, por exemplo, alguns semáforos de pedestres já foram adaptados pensando nesse novo desafio. A nova tecnologia permite aumentar o tempo de abertura dos semáforos para pedestres  mediante o uso do cartão transporte de idoso ou do cartão de pessoa com deficiência. Os equipamentos serão instalados em 31 pontos da cidade.

Perfil do pedestre idoso

Segundo pesquisa realizada pela Direção Geral de Tráfego (DGT), da Espanha, os idosos têm o seu aspecto mais vulnerável quando circulam como pedestres. E alguns dos principais problemas enfrentados por eles nesta situação são distinguir a cor das luzes e perceber a velocidade efetiva dos veículos na via, além da distração, presente, com mais frequência, nos idosos acima de 70 anos.

De acordo com a pesquisa os pedestres idosos enfrentam um conjunto de obstáculos nas ruas. Dentre eles estão o excesso de velocidade do veículo, a condução imprudente e, em muitos casos, o curto espaço de tempo do semáforo para pedestre.

Dicas de segurança

Segundo Elaine Sizilo, algumas dicas são muito importantes para reduzir os riscos e garantir a segurança dos pedestres idosos.  São elas:

  • Para atravessar a rua, esperar sempre o sinal de pedestre ficar verde ou nos locais sem semáforo, pedir ajuda para outra pessoa.
  • Nunca parar no meio do cruzamento e atravessar em linha reta.
  • Ao andar na calçada, preferir ficar longe do meio-fio, para evitar que uma tontura ou tropeço leve o idoso a cair na via, perto dos carros.
  • Evitar carregar peso.
  • Usar sapatos adequados e ter muito cuidado com buracos, troncos de árvores ou locais acidentados, que podem causar uma queda;
  • Ao sair de um veículo, escolher o lado da calçada para desembarcar.

 

O que achou da matéria: Os Idosos estão cada vez mais em risco no trânsito? Caso tenha alguma dúvida, estamos a total disposição para te atender. Entre em contato e saiba tudo sobre leis, novidades e dicas de transito. Acima de tudo, confira todas as nossas matérias. Nelas constam tudo o que você precisa saber para estar de acordo com as leis, ficar por dentro das dicas. Além de manter a sua segurança e dos demais motoristas e pedestres.

Exagerar na buzina pode render multa ao motorista

A vida agitada, os congestionamentos, o aumento considerável de carros nas vias, fizeram com que muitas pessoas passassem a utilizar a buzina exagerada. Essa atitude além de irritar os demais usuários, causa conflitos. Em outras palavras, exagerar na buzina pode render multa ao motorista e perda de pontos na carteira. Ou seja, segundo o Art.227 do Código de Trânsito Brasileiro a infração é leve, com multa de R$ 53,20. Read More

O que você acha do capacete como item obrigatório para os ciclistas?

Esse é um assunto polêmico e existem várias correntes com pensamentos diferentes. O Código de Trânsito Brasileiro não lista o capacete como item obrigatório para os ciclistas. No entanto, especialistas recomendam o seu uso para crianças e adultos que andam de bicicleta. Segundo a ONG Criança Segura, a maneira mais efetiva de reduzir lesões na cabeça é usar o capacete. Portanto, esta única medida de segurança pode reduzir este risco. Além disso, reduzindo a possibilidade de traumatismo craniano, em até 85%.

Saiba mais sobre o capacete como item obrigatório para os ciclistas:

Há outra corrente que acredita que o uso do capacete desestimula o uso da bicicleta em centros urbanos. A Austrália, por exemplo, possui a obrigatoriedade do uso do capacete desde 1990 e, de acordo com Mikael Colville-Anderson, um dos grandes especialistas de trânsito no mundo, é conhecida como um exemplo de como o capacete minguou o ciclismo urbano. Na Holanda e na Dinamarca, países em que o uso da bicicleta é bastante difundido, o capacete não é um item compartilhado pelos ciclistas.

Segundo o especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Celso Alves Mariano, as bicicletas, bem como quaisquer veículos não motorizados, são frágeis e vulneráveis. “Mesmo pequenos acidentes podem resultar em traumatismos cranianos, por esse motivo acho muito importante que os ciclistas não dispensem o uso desse equipamento tão importante para a prevenção de traumas graves”, explica.

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, os equipamentos obrigatórios para as bicicletas são a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais e espelho retrovisor do lado esquerdo.

 

O que achou da matéria: O que você acha do capacete como item obrigatório para os ciclistas? Caso tenha alguma dúvida, estamos a total disposição para te atender. Entre em contato e saiba tudo sobre leis, novidades e dicas de transito. Acima de tudo, confira todas as nossas matérias. Nelas constam tudo o que você precisa saber para estar de acordo com as leis, ficar por dentro das dicas. Além de manter a sua segurança e dos demais motoristas e pedestres.

Carros autônomos do Google podem incluir airbags do lado de fora

Airbags normalmente são utilizados do lado de dentro para proteger os motoristas e passageiros de impactos provocados por um acidente de trânsito. Com certeza, este é um recurso bastante útil para a segurança nos automóveis atuais. Mas o que dizer de airbags do lado de fora? Parece um pouco curioso, não? O Google patenteou a ideia de carros autônomos com um sistema de para-choques infláveis que reagiriam em caso de acidente.Read More

infração de trânsito: Estacionar na calçada gera multa e pontos na CNH

Várias denúncias chegaram ao Portal do Trânsito mostrando inúmeras situações irregulares no trânsito da cidade do Rio de Janeiro. Como por exemplo, condutores utilizando as calçadas como estacionamento. “Estacionar no passeio, além de infração de trânsito, é um grande desrespeito com o pedestre”. Explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Educacional.

Saiba mais sobre a infração de trânsito por estacionar em calçadas

Os flagrantes aconteceram na Rua Jornalista Henrique Cordeiro, na rua Mayrink Veiga com a Beneditinos. Ou seja, na rotatória que une as ruas: Estrada de Paciência, Estrada do Encanamento e Estrada do Tutoia, na Rua Libéria e na Praça Dr. Del Vecchio. Em todas as ocorrências, os veículos estavam estacionados irregularmente tirando espaço dos pedestres. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), artigo 181, estacionar na calçada é uma infração grave. Portanto, com acréscimo de cinco pontos na CNH com multa de e remoção do veículo.

Todos os flagrantes foram encaminhados para a Guarda Municipal do Rio de Janeiro. Que é, portanto, o órgão responsável pela fiscalização do estacionamento e parada dos veículos no município. Em resposta, a Guarda enviou agentes até os locais para apurar as denúncias. Além de multar os veículos, se for o caso. O combate as infrações de estacionamento irregular, faz parte da rotina diária dos guardas municipais empregados no trânsito. E, além disso, correspondeu a aproximadamente 57% do total de multas registradas pela GM-Rio no primeiro semestre de 2014. Portanto, essas irregularidades prejudicam a mobilidade de pedestres e outros motoristas e também pode causar acidentes.

A GM-Rio informa ainda que a população pode denunciar flagrantes de irregularidades de trânsito na cidade do Rio de Janeiro por meio da Central 1746, da Prefeitura, que funciona 24h. Você também fotografou algum flagrante de irregularidade no trânsito da sua cidade? O Portal irá junto com você buscar a resposta.

 

O que achou da matéria: infração de trânsito: Estacionar na calçada gera multa e pontos na CNH? Caso tenha alguma dúvida, estamos a total disposição para te atender. Entre em contato e saiba tudo sobre leis, novidades e dicas de transito. Acima de tudo, confira todas as nossas matérias. Nelas constam tudo o que você precisa saber para estar de acordo com as leis, ficar por dentro das dicas. Além de manter a sua segurança e dos demais motoristas e pedestres.

Cinto de segurança pode ser obrigatório em assento de idoso

O Projeto de Lei 8138/14, em análise na Câmara dos Deputados, exige que os assentos do motorista e os destinados a idosos no transporte coletivo tenham cintos de segurança. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB, Lei 9.503/97), o cinto de segurança é obrigatório, com exceção dos veículos destinados ao transporte de passageiros em que seja permitido viajar em pé. “A extensão da obrigatoriedade legal desse equipamento de proteção para o motorista desses veículos, embora saibamos que, na prática, quase todos os ônibus já o possuem, decorre da posição frontal ocupada pelo motorista”. Explica o autor do projeto, deputado Nilson Leitão (PSDB-MT).Read More

Veja como realizar a transferência de um veículo para o atual comprador

A transferência de propriedade de veículos é um processo realizado todos os meses por milhares de pessoas no estado do Tocantins. Apenas no mês de Janeiro foram registradas mais de quatro mil transferências. O processo de transferência é simples. Entretanto, deve ser feito com muita atenção. Uma vez que o recibo de compra e venda do veículo  (CRV – Certificado de Registro de Veículo, conhecido como DUT) é devidamente preenchido e registrado em cartório, a documentação está pronta para ser levada ao Detran. Ou seja, onde será realizada a transferência de fato. Portanto, entenda como realizar a transferência de um veículo:Read More

Tire suas dúvidas sobre carros blindados

Blindar um veículo aumenta a segurança, mas custa caro e requer cuidados específicos com a manutenção. A sensação de insegurança no Brasil e os números crescentes da violência urbana levam muitas pessoas a tomarem uma medida drástica. Ou seja, blindar seus automóveis. A procura por blindagem para automóveis vem crescendo. Assim como o ritmo da criminalidade. Em outras palavras, um carro à prova de balas dá as pessoas uma chance de reação, que em veículos sem proteção pode ser mal sucedida e no pior dos casos até mortal.

A procura por carros blindados vem batendo recordes a quatro anos consecutivos, segundo balanço da Abrablin. Ela é uma associação que reúne cerca de 70% das empresas blindadoras no País. Além disso, o número deve continuar aumentando. A entidade ainda não divulgou os números de 2014, mas é previsto um aumento na casa dos 5% referente ao desempenho do ano passado comparado a 2013. Ou seja, quando 10.156 carros receberam a proteção .

No entanto, como se sabe, o preço que se paga pela proteção é praticamente o mesmo valor de um automóvel zero km. Um carro pequeno, como uma picape compacta (o mais comum quando se busca uma blindagem eficiente de custo relativamente baixo) fica em torno de R$ 37 mil. Ou seja, enquanto a proteção para um sedã saí por R$ 50 mil. Assim como para um SUV pode superar os R$ 60 mil. “Apesar do valores, a blindagem para automóveis não sofreu reajustes nesse tempo. O que vem aumentando a procura ano após ano”. Explicou ao iG Fabio Rovedo, ex-presidente da Abrablin.

O nível máximo de blindagem permitido para usuários civis atualmente é o III A

Portanto, que resiste a disparos de revólveres convencionais, como calibre 38 e 9 mm, e até metralhadoras de baixo calibre, como a Uzi. Proteções mais resistes, como o nível III que resiste a balas de fuzil, requerem uma autorização especial do exército brasileiro.

A blindagem III acrescenta ao carro vidros temperados com 20 mm de espessura, além de proteções para o habitáculo, que as empresas do ramo chamam de “blindagem opaca”. Essa proteção consiste em malhas de aramida (são usadas até 9 camadas), que ficam escondidas principalmente nos forros das portas e na traseira do veículo, especialmente em SUVs, que possuem a tampa do porta-malas mais avantajada. O pacote também inclui pneus especiais, que podem continuar rodando mesmo após receber disparos de armas de fogo – o mais comum é o runflat, mas também há opções com cintas de aço ou borracha reforçada.

Blindar o carro é um processo delicado e exige perícia e tempo para ser realizado. O processo leva de 20 a 40 dias, dependendo das características do carro. Quanto maior for o veículo, mais complexa é a blindagem.

Confira abaixo o que você precisa saber antes de blindar seu carro:

1 – A blindagem para automóveis resiste a dois disparos ou mais no mesmo ponto?

Segundo a Abrablin, a blindagem nível III A pode sim receber dois disparos ou até mais no mesmo ponto. No entanto, atingir o mesmo ponto mais de uma vez é algo raro de acontecer, sobretudo com o veículo em movimento. É preciso ter uma pontaria excepcional.

2 – A blindagem reduz a vida útil do carro?

A blindagem nível III A acrescenta ao carro cerca de 180 kg ( a nível III pode passar de 900 kg). Portanto, é como se o usuário utilizasse o carro sempre com o porta-malas cheio, o que sobrecarrega a suspensão, freios, motor e câmbio, mesmo seguindo a manuteção preventiva do fabricante. Além disso, com mais peso o consumo de combustível também aumenta.

3 – A blindagem requer manutenção?

Os vidros de alta resistência são compostos de diversas camadas de materiais diferentes e com o tempo essas lâminas podem se deslocar, processo que é notado com o surgimento de bolhas, deixando o vidro com um aspecto embaçado. Isso pode acontecer devido a reações da composição do produto ou pelas condições de uso. Um carro blindado que enfrenta, por exemplo, trechos acidentados tendem a apresentar esse defeito com maior frequência. Essa mesma condição também pode causar deslocamentos na blindagem opaca, que dependendo do estado pode perder a resistência balística. Em ambos os casos, somente empresas blindadoras podem solucionar o defeito e buscar alternativas mais baratas podem comprometer a proteção.

4 – Carros populares podem ser blindados?

Qualquer automóvel pode ser blindado, mas é preciso avaliar a eficiência e viabilidade do projeto tanto financeiramente quanto tecnicamente. Para cada carro há um esquema específico de blindagem e dependendo do modelo o desenvolvimento pode ser mais caro, mesmo para um veículo popular.

5 – Que tipo de carro não é indicado para blindagem para automóveis?

Não são indicados para blindagem veículos que após um estudo técnico a sua relação peso/potência excedam certos parâmetros. Um veículo cujo o peso da blindagem exceda em 15% o peso original do veículo já sinaliza que o mesmo não é indicado para receber a blindagem. Carros com muita área envidraçada também são mais complexos para blindar, especialmente modelos com para-brisas panorâmicos.

6 – A blindagem para automóveis oferecida a civis no Brasil suporta explosões?

Não existe uma resposta final para esta pergunta. Dado a impossibilidade de se quantificar a energia liberada e também porque se desconhece uma norma especifica para isto. No entanto, para tal é indicado blindar o assoalho, que poderia proteger os ocupantes no caso de uma explosão deflagrada por baixo do carro.

7 – Existe alguma alternativa de baixo custo para proteger o carro?

Existem no mercado películas que ao serem aplicadas no vidro aumentam sua resistência contra golpes com objetos, no entanto essa solução não é eficiente contra armas de fogo.

8 – Quais cuidados deve-se ter ao comprar um carro blindado usado?

Geralmente, carros blindados usados são oferecidos com preços sedutores. Um VW Touareg usado e blindado pode ser encontrado por cerca de R$ 45 mil. Mas nesse caso, o barato pode sair caro e, sobretudo, perigoso. O veículo pode estar com os vidros e blindagem opaca comprometidos a ponto de exigir uma revisão completa da proteção. O indicado é apresentar o carro a um especialista antes de efetuar a compra.

9 – Um carro blindado pode ser arrombado?

Apesar da resistência a armas de fogo, um carro blindado pode sim ser arrombado usando ferramentas comuns, como varetas de aço e chaves de fenda usadas por ladrões. No entanto, empresas blindadoras garantem que o processo é mais complicado do que em carros convencionais devido aos reforços aplicados nas maçanetas.

10 – Que armas uma blindagem para automóveis comum pode suportar e quais não pode?

A blindagem mais usada no Brasil, a nível III A, resiste as chamadas “armas de mão”, que são revolveres como o famoso calibre 38, 9 mm e Magnum .44, armas muitos usadas por bandidos. Essa blindagem também suporta disparos de metralhadoras leves e escopetas. Essa proteção, contudo, não resiste a balas de armas de cano longo, como fuzis e metralhadoras de grosso calibre. Para tal, é necessário no mínimo a blindagem III, que requer uma autorização do exército brasileiro para ser instalada.

Auto Escola em Diadema, Habilitação para deficiente físico

Amortecedores desgastados podem comprometer a segurança do veículo

Principais componentes do sistema de suspensão são fundamentais para garantir a estabilidade e dirigibilidade do veículo. Ou seja, amortecedores desgastados podem trazer riscos a segurança. “O desgaste dos amortecedores eleva a distância de frenagem. Além disso, tende à aquaplanagem do automóvel em superfícies alagadas. Assim como sair para o lado de fora das curvas”. Afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Portanto, alertando para a ocorrência de graves acidentes.

Read More

Um dos fantasmas que assombra os candidatos à habilitação é a ‘BALIZA’

Um dos fantasmas que assombra os candidatos à habilitação é a ‘BALIZA’. Ou seja, é o estacionamento do veículo em vaga de espaço determinado como se estivesse a estacionar na via pública. A Resolução 168 do Contran, estabeleceu também critérios para exame prático na primeira habilitação, dentre elas para a ‘baliza’. Em suma, da Resolução 168, tem notórias alterações para a 169. Em outras palavras, pelas exigências com relação aos cursos de direção defensiva e primeiros socorros na renovação da carteira.Read More